20 de agosto de 2022 00:45

Após mais de 70 anos, Três Lagoas irá ganhar um prédio oficial para Feira Livre

Você sabia que no século XX, por volta dos anos 50 um prédio abrigava a Feira Livre em Três Lagoas, esse espaço era localizado na Rua Dois (atual Rua Munir Thomé), mas por uma fatalidade o local pegou fogo. Porém, menos de duas semanas, mas exatamente no dia (03) de dezembro, após mais de 70 anos, será inaugurado o novo endereço exclusivo da Feira Livre (agora, Feira Central) três-lagoense.

O ambiente moderno e amplo possui área de 5.500 metros quadrados, composto por 200 box para hortifruti, 37 espaços gourmets, praça de alimentação, palco, área administrativa e banheiros feminino e masculino. A obra de construção do prédio é um marco histórico para Três Lagoas, e para a valorização dos nossos feirantes, que – em um local coberto e com estrutura – não enfrentarão mais os percalços com o clima, seja pelos problemas ocasionados pelas chuvas ou pelo excesso de exposição ao calor.

HISTÓRIA DA FEIRA

Não há como contar a história de Três Lagoas sem falar de comércio, desde o início do povoamento da Cidade não há como falar sobre a cultura dos moradores sem lembrarmos das feiras livres, sejam as feiras de gados ou mesmo a boa e velha feira de agricultura familiar.

Se resgatarmos a história das Feiras Livres, com comércio de hortifruti, antes do incêndio do antigo local, chegaremos aos anos 30, com carroças de feirantes tomando a Rua Paranaíba na esquina da Praça da Bandeira (atual Praça Ramez Tebet).

Após o incidente, no final da década de 60 é construído o Mercadão Municipal (atual Shopping Popular), inaugurado em 1969, porém o prédio não abrigava somente os feirantes, na parte externa ficavam as lojas comerciais e na parte interna a feira.

Nos anos 80 a Feira Livre volta a tomar as ruas de Três Lagoas, esse tipo de comércio começa a acontecer em vários espaços como a Praça do Jardim Alvorada, Circular da Lagoa Maior e Avenida Fillinto Müller.  Até aquele momento a Feira Livre de Três Lagoas acontecia de forma sazonal.

E só nos anos 2000, é concebida a Associação dos Feirantes, após a organização dos comerciantes em busca de desenvolver e expandir a agricultura familiar e melhores oportunidades. A feira se consolida nas manhãs dos sábados na Avenida Rosário Congro, depois também nas noites de quarta-feira e, atualmente, a feira acontece nas noites de segunda e quarta, e nas manhãs de sábado.

 Fonte: Rodrigo Fernandes – Historiador

Receba Informações na Palma da Sua Mão

Está gostando do conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on print
Print