18 de agosto de 2022 21:40

Concessão da BR-262 será extremamente benéfica, avalia Aliança de Entidades

A Aliança de Entidades (ACITL, AJE, ABRASEL, APETL, AICL e SRTL) avalia como extremamente positiva a abertura do processo de concessão da BR-262, conforme anúncio feito durante a visita da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, na última sexta-feira (4). O assunto foi tema de dois pedidos feitos às autoridades, via Aliança, desde dezembro do ano passado.

O ministro de Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas se pronunciou sobre o assunto. Disse que o presidente Jair Bolsonaro é favorável a concessão de toda a BR-262, principal ligação entre Três Lagoas e Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

A BR-262 corta os estados do Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul, com uma extensão total de 2.295,40 km. No estado de Mato Grosso do Sul, a rodovia se estende desde a divisa com o estado de São Paulo até a fronteira do Brasil com a Bolívia.

Conforme a ministra, o aumento no tráfego de veículos pesados e as péssimas condições de trafegabilidade das pistas, que causam diversos acidentes semanalmente, foram os principais argumentos usados para convencer Bolsonaro sobre a entrega da rodovia à iniciativa privada.

Por telefone, Tarcísio garantiu à ministra: “Estamos estudando um modelo de concessão de toda a BR-262 que já está quase pronto e, em breve, vamos apresentar a sociedade”.

O secretário estadual de Infraestrutura Eduardo Riedel, que também esteve em Três Lagoas, parabenizou a iniciativa dos ministros e disse que o governo do Estado também é favorável à concessão da BR-262.
Estudo

Um estudo encomendado pelo governo de MS ao DNIT em 2018, já apontava que no trecho de 320 km da BR-262, que liga Campo Grande a Três Lagoas, a situação era bastante crítica e que a rodovia precisava da terceira faixa e diversos serviços de manutenção.

Recentemente, a implantação da nova fábrica de celulose da Suzano em Ribas do Rio Pardo e inviabilidade de navegabilidade no rio Paraguai fizeram com que o volume de veículos pesados aumentasse significativamente na rodovia. O aumento do fluxo elevou o volume de acidentes ocorridos ao longo do trecho. Os estudos realizados apontam que o volume médio diário ultrapassa 3.800 veículos em circulação, boa parte deles, caminhões.

Diante das constatações, conforme as autoridades, a rodovia deverá ter investimentos acima de R$ 43 milhões já em 2022. Deste montante, R$ 21,3 milhões serão destinados a obras de restauração e supervisão (km 4 ao km 191,10) e R$ 21,7 milhões serão direcionados para contratos de manutenção e conservação dos demais segmentos da rodovia.

Com informações: Rogerio Potinatti

Receba Informações na Palma da Sua Mão

Está gostando do conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on print
Print