23 de julho de 2024 01:34

Banco erra e transfere R$ 130 milhões para motorista que fez questão de devolver; VEJA VÍDEO

Foto: Reprodução

Terra Brasil Notícias

De uma hora para outra, mais de R$ 130 milhões foram depositados na conta de Antônio. Motorista conta que sabia que era um erro do banco e fez questão de devolver imediatamente.

O motorista que ficou milionário por sete horas, após receber mais de R$ 130 milhões na conta de uma hora para outra, disse que chegou a brincar com a situação. Quando encontrou a esposa em casa, contou o que tinha acontecido e brincou: “Mulher, nós ficamos ricos!”

Homem recebeu quase R$ 132 milhões por engano — Foto: TV Anhanguera/Reprodução

Homem recebeu quase R$ 132 milhões por engano — Foto: TV Anhanguera/Reprodução

Antônio é motorista de turismo e não tem renda fixa. Pai de quatro filhos e avô de 14 netos, o morador de Palmas é casado e tem 58 anos. Tinha apenas R$ 227 na conta e, por causa de um erro do banco, o saldo chegou a R$ 131,8 milhões.

“Apareceu tanto zero que eu assustei, fiquei até assustado! Nunca vi um dinheiro desse na minha vida e não consigo nunca na minha vida, só se ganhar na mega sena, e jogar eu não jogo. Então é difícil”, conta o motorista.

Apesar da brincadeira, a esposa também concordou que eles deveriam devolver o dinheiro.

“De imediato, ela falou também pra devolver e fui procurar o banco. Cheguei lá, o outro gerente do banco estava em outro banco e assinei o papel pra ele pegar o dinheiro de volta. À noite saiu o dinheiro da minha conta pra conta deles”, relata o motorista.

A atitude de Antônio foi pautada na honestidade. “Eu sou uma pessoa muito honesta e só quero o que é meu”.

Honestidade também é lei

Além de moralmente certo, o que o motorista fez também tem respaldo legal. Isso porque quando uma pessoa recebe um valor na conta por engano, é obrigada a devolver o dinheiro.

“Tem implicações jurídicas tanto criminalmente como na área cível, porque criminalmente nós temos no código penal a questão da apropriação indébita e civilmente você está enriquecendo ilicitamente, porque está usando um dinheiro que não é seu, que não lhe pertence. Então apesar de você ficar feliz com a situação, com a surpresa, um milagre aconteceu, utilizar desse dinheiro é crime”, destaca a advogada Paula Dângelo.

G1

Receba Informações na Palma da Sua Mão

Está gostando do conteúdo? Compartilhe

Facebook
WhatsApp
Telegram
Twitter
Email
Print